wrapper

Breves

quarta, 30 janeiro 2019 00:00

Seia rejeita delegação de competências para 2019 Destaque

Proposta da autarquia foi aprovada pela Assembleia Municipal e é suportada pela indefinição quanto aos meios financeiros e humanos necessários para o cumprimento das competências.

A Assembleia Municipal de Seia pronunciou-se esta segunda-feira, dia 28 de janeiro positivamente sobre a intenção do Município de Seia não pretender assumir em 2019 as competências previstas na Lei n.º 50/2018, de 16/08, e diplomas sectoriais.

A rejeição da transferência de competências para a autarquia no domínio das praias, jogos de fortuna ou azar, vias de comunicação, atendimento ao cidadão, habitação, património, estacionamento público, bombeiros voluntários e justiça, e para as entidades intermunicipais, na promoção turística e fundos europeus e captação de investimento, reuniu consenso geral dos deputados da assembleia, apesar de no período de votação a bancada do movimento independente “Juntos Pela Nossa Terra” se posicionar pela abstenção, por considerar que esta é uma decisão política.

A aceitação das competências abrangidas pelos 11 diplomas tem de ser uma decisão tomada em consciência, como a complexidade das matérias assim o exige, referiu Filipe Camelo, Presidente da Câmara Municipal de Seia, repetindo os argumentos que já tinha usado durante a votação do executivo.

Assim, pela falta de clareza sobre as implicações financeiras, humanas e organizacionais associadas e derivado ao escasso conhecimento sobre este assunto, cujas condições só serão conhecidas após a publicação de todos os Decretos-Lei Setoriais, conduzem a que, responsavelmente e na defesa dos interesses quer da autarquia quer da população se rejeite aceitar a transferência de competências para o Município de Seia em 2019, fundamentou o edil.

“Que fique claro que o posicionamento assumido não é contra a descentralização”, frisou Filipe Camelo, mas contra o próprio processo, que levanta dúvidas, “por não estarmos na posse de todos os elementos e, pelo que, não podemos avançar às cegas”, rematou com a informação de estar disponível para, ainda este ano, e após o devido período para os órgãos apreciarem os diplomas, abraçar as competências, até porque o Município já o faz em muitas matérias.

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Fazendo uma retrospetiva à vida humana, concluímos que só bastante tarde é que nos damos conta que os dias e anos andam tão rápidos que até parece mentira. Todavia, a longevidade que em jovens julgamos nunca lá chegar, rapidamente a atingimos, ...

Joaquim Pimentel

Alguns anos após o 25 de Abril, mais precisamente quando aquela casta de políticos que serviram Portugal e os portugueses com verdadeiro espirito de missão, no Governo ou no Parlamento – a Casa da Democracia – colocando os interesses do país e do ...

Manuel Miranda

São doentes aos milhares em situação de risco. São notícias de milhares de cirurgias adiadas. São doentes oncológicos em risco de vida com cirurgias urgentes adiadas.  Um reduzido grupo de enfermeiros consegue fazer adiar cirurgias nos hospitais ...

Estrela da Beira

No passado dia 23 de fevereiro a Sociedade Musical Estrela da Beira (SMEB) fez um concerto de apresentação do 1º CD intitulado “Contemplar”.  Este CD enaltece toda a dedicação que a SMEB tem vindo a colocar em prol da música filarmónica e da ...