wrapper

Breves

segunda, 02 março 2020 00:00

Sandra Pereira (PCP) deputada no Parlamento Europeu questiona a Comissão Europeia sobre as doenças dos castanheiros Destaque

Na sequência de um encontro da deputada do Parlamento Europeu, Sandra Pereira, com produtores de castanha em Aldeia da Serra (Seia). A deputada do PCP dirigiu uma pergunta escrita à Comissão Europeia.

No encontro, os produtores expuseram as suas dificuldades decorrentes dos incêndios e da vespa das galhas do castanheiro que é uma praga que destrói os gomos e afeta a produção. No encontro ficou clara “a insuficiência e o carácter limitado das ajudas aos produtores afetados pelos incêndios. Muitos dos produtores, não tiveram ajudas, apesar de terem submetido candidaturas.”

No caso do combate à vespa das galhas, ficou clara a necessidade de intervenção urgente por parte das estruturas públicas do ministério da agricultura e do município de Seia. 

O combate à praga não se pode fazer individualmente. A luta cultural e a luta biológica são atualmente consideradas as formas mais eficazes na redução da magnitude do impacte dos seus ataques, pelo que se coloca a necessidade de meios para se proceder a este combate.

A produção da castanha em alguns concelhos de Portugal está ameaçada devido a doenças várias que afetam os castanheiros. Por exemplo, em Seia, os castanheiros que sobreviveram aos incêndios de 2017 estão agora infetados pela chamada doença das galhas e pela chamada "doença da tinta".

A causa da doença das galhas é uma vespa que ataca o crescimento e a produção atrofiando a galha. No caso do combate à vespa das galhas, ficou clara a necessidade de intervenção urgente por parte das estruturas públicas do Ministério da Agricultura já que não se pode fazer individualmente. A luta cultural e a luta biológica são atualmente consideradas as formas mais eficazes na redução da magnitude do impacte dos seus ataques, pelo que se coloca a necessidade de meios para se proceder a este combate. A tinta é uma doença antiga que faz secar o castanheiro a partir da casca e só é controlada através de enxertos certificados, resistentes à moléstia.

Neste sentido, a deputada colocou as seguintes questões à Comissão Europeia, a saber: “sabe se em outros Estados-Membros também há relatos das doenças descritas e, em caso afirmativo, quais são os tratamentos que estão a ser implementados? Está esta Comissão disponível para apoiar estes produtores de castanha, designadamente através de um reforço das verbas para a Política Agrícola Comum, valorizando desta forma as espécies autóctones que ajudam a dinamizar a economia local?

 

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Estamos quase no fim do mês de dezembro de 2019 e a entrarmos no ano de 2020.

Joaquim Pimentel

A leitura que vou procurando fazer no dia-a-dia duma vida muito ocupada e com acrescidas preocupações, permite alargar os meus conhecimentos os quais, confesso, são limitados e dar conta do que se vai passando em meu redor. Não resisto, pois, a ...

Manuel Miranda

Natal. As notícias não deixam esquecer o Natal. As televisões mandam jornalistas para os grandes centros comerciais para registarem os entusiasmados, a azáfama das compras. 

Estrela da Beira

2019 está já a terminar. Foi um ano cheio de muitas surpresas, de muitas atividades e de mudança para a nossa banda.