wrapper

Breves

terça, 19 dezembro 2017 00:00

Cabeça Aldeia Natal, a mais genuína e sustentável Festa de Natal em Portugal Destaque

Cabeça é uma Aldeia de Montanha do concelho de Seia, situada a 22 km da Torre, o ponto mais alto da serra da Estrela e de Portugal continental.

Cabeça é, de 16 de dezembro até 1 janeiro, a Aldeia de Natal mais genuína e sustentável de Portugal. 

Os habitantes da aldeia de Cabeça mobilizaram-se, mais uma vez, para a realização desta festa de Natal e trabalharam na elaboração dos enfeites natalícios que, nesta altura, decoram as ruas da aldeia. Os enfeites são feitos exclusivamente com recurso aos elementos naturais da montanha, resultado de limpezas e desbastes florestais no Parque Natural da Serra da Estrela, e à lã das ovelhas bordaleiras da serra da Estrela. 

Nas pitorescas ruas da aldeia o visitante pode encontrar uma decoração simples, ecológica e criativa. Estrelas, candelabros, grinaldas naturais, corações, tudo feito manualmente pelos habitantes da aldeia, cobrem as fachadas do casario e a imponente árvore de Natal ecológica.

Neste conceito, assumidamente, distante do consumismo dos grandes espaços comerciais e dos grandes eventos de recriação natalícia, onde não há lugar para o Pai Natal, encontramos uma aldeia autêntica em que os habitantes abrem as portas das suas casas, transformando a aldeia e as suas ruas numa verdadeira Aldeia de Natal, mas sem Pai Natal. 

Tradições como a missa do galo, a fogueira de natal nas ruas da aldeia, oficinas de pão no forno comunitário da aldeia, músicas de Natal e atividades de conexão com a natureza, são algumas das atividades propostas. Nesta temática estão previstas caminhadas interpretativas pela paisagem cultural dos socalcos da aldeia, uma ação de reflorestação e um trail inspirado no conceito de Natal. A arte e a criatividade dos habitantes da Aldeia também está patente na sinalética de orientação, seguindo o mesmo conceito criativo da decoração da Aldeia Natal.

A Cabeça Aldeia Natal é uma festa inspirada nos valores do Natal onde se vivencia, de forma simples e genuína, a magia desta época festiva. 

Nuno Silva, coordenador responsável desta iniciativa falou ao JSM sobre este evento e referiu que cerca de 90 por cento da população se envolve na concretização dos enfeites, com um grande entusiamos. 

Apesar de este ano o evento ser um pouco mais curto, este  funciona todos os dias. “Alterámos um pouco, mas o resultado vai ser excelente. As atividades decorrem sempre das 15 às 19 horas, mas a Aldeia está aberta todo o dia. Está tudo pensado para atrair o maior número de visitantes. Ano após ano, temos vindo a superar este número, refere Nuno Silva, acrescentando que quem dá as ideias “são duas pessoas fantásticas que é a Luísa Mendes e José Marques, são os “mentores” dos arranjos. As pessoas ficam ansiosas por a chegada desta altura do ano. Têm orgulho de ver a Cabeça publicitada nos vários órgãos sociais”, salienta.

Para além de todos os aspetos positivos que este evento traz para esta Aldeia, um é de frisar: o combate da solidão, que nas aldeias é muito importante”, destaca ao JSM Pedro Pinto, um dos elementos que faz parte de toda esta organização. “As pessoas reúnem-se na oficina e nota-se um grande espírito de união e de camaradagem. Estão lá, às vezes até à uma ou duas da manhã, e não dão por isso. Fico mesmo muito encantado como é que estas pessoas, a maior parte ligadas ao campo, conseguem fazer verdadeiras obras de arte e, depois, de ano para ano, são sempre diferentes.” 

Para este ano, os visitantes podem encontrar algo, ainda melhor, porque, “ano após ano tudo é superado, afirma Pedro Pinto. “Fico surpreendido com a criatividade das pessoas da Aldeia, com as decorações, com o cenário das casas de xisto, com a iluminação led… é simplesmente fantástico! É o verdadeiro Natal genuíno na Aldeia de Cabeça. Com este evento, conseguimos colocar a Cabeça no mapa e tem sido um sucesso e este ano, de certeza, não vai fugir à regra.”

Esta iniciativa resulta de uma parceria entre o Conselho Diretivo dos Baldios da Cabeça, a Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede das Aldeias de Montanha (ADIRAM) e o Município de Seia, sendo uma das Festas que consubstancia o Plano de Animação da Rede.

A ação integra o Plano de Animação da EEC PROVERE iNature, co-financiado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do CENTRO 2020 – Programa Operacional Regional do Centro.

“Uma aldeia genuína. Pelas mãos de gente genuína” é a proposta de Natal daquela que é a mais sustentável Aldeia de Montanha do país.

 

1.º Trail Aldeia Natal

No dia 30 de dezembro pelas 10 horas, a aldeia de Cabeça irá tornar-se palco de uma grande festa de trail running com a realização do 1.º Trail Aldeia Natal. 

Os participantes vão partir à aventura por trilhos de beleza ímpar, que lhes darão a conhecer paisagens únicas, descobrir património histórico, cultural e ambiental da região, assim como apreciar a criatividade invulgar dos habitantes da aldeia na decoração das ruas com materiais recicláveis, excedentes da natureza.

“Esta é a novidade para este ano, a realização do 1º Trail Cabeça Aldeia Natal. Os fundos que advirão deste Trail servirão para a limpeza das florestas e de caminhos, e para melhorar o ordenamento do território dos baldios, promovendo plantações de árvores autóctones, informa Pedro Pinto. 

 

Neste Trail vamos conseguir ver paisagens que mesmo as pessoas que visitam a Cabeça não conhecem. Vamos passar por trilhos onde iremos ter uma visão privilegiada do Colcurinho, descobrir uma ponte Romana e passar pela Ribeira. Neste percurso, as pessoas vão perceber, depois, porque esta aldeia se chama Cabeça”, frisa o organizador deste evento desportivo.

Um dos objetivos deste Trail é, para além de fazer com que as pessoas participem e “desgastem as calorias que consomem durante esta época, no final desta prova, passarem o resto da tarde na Aldeia Natal.”

Realizado pela primeira vez, terá um percurso de aproximadamente 12 Km, onde os participantes desfrutarão de todo o encanto desta aldeia pitoresca situada na encosta da Serra da Estrela, decorada a preceito para a vivência do verdadeiro espírito natalício tradicional.

 

 

 

 

 

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Os meses de fevereiro e março tiraram a Portugal e aos Portugueses a angústia duma seca severa que nem os mais otimistas acreditavam que voltasse a chover em Portugal. De facto, ao olharmos para todo o solo de Portugal, era desesperante vê-los ...

Joaquim Pimentel

Triste e lamentavelmente, perante a realidade da vida, que ninguém nos procure impingir a mentira de que a situação da Síria mexe com Assad, Trump, Putin, etc! Por mais razões que queiram invocar, a atitude destes “senhores” e de todos quantos a ...

Manuel Miranda

Mas tanta!... tanta gente de olhares em mim!... Eu sei que sou diferente… Que ando na vida para mim voltado, de todos os outros desencontrado!... Autista!… é o que de mim dizem. E outros que sou de perturbações do espectro do autismo. Outros ...

Estrela da Beira

A época das festas religiosas aproxima-se a passos largos. Estivemos novamente em Salamanca onde participámos na Procissão do Enterro (Sexta-feira Santa) e na Procissão do Encontro (Domingo de Páscoa) a convite da Cofradía de la Vera Cruz. É ótimo ...