wrapper

Breves

Numa quadra festiva, como esta, a do Natal, o mundo católico e não católico, vive as alegrias desta Quadra.

Quase todas as famílias se deslocam dos seus lugares de trabalho para comerem a consoada com a família. São dias festivos, alegres e felizes para todos os que regressam às suas raízes; aos braços das mães, pais e irmãos. Na noite de Natal, hoje, felizmente, com as mesas cheias de iguarias, todos vibram de emoção por ver as famílias ou quase todas reunidas a viverem, também, a nostalgia de um ou outro familiar que já partiu para a eternidade.

Desde a nossa tenra idade, vivemos todo um passado em que se comia pão, mesmo assim, algum com bolor; as batatas com bacalhau (na altura conduto dos pobres) com um “chingo de azeite, por vezes pedido aos vizinhos... Dias difíceis, mas que foram ultrapassados com grande esforço e sacrifício dos nossos pais, que mesmo tendo pouco, não queriam que nos faltasse nada.

Os tempos evoluíram e, em cerca de 50 anos, a situação quase que mudou radicalmente.

O Menino Jesus foi substituído, em quase todas as casas, pelo Pai Natal. A luz da candeia foi substituída por milhões de luzes de todas as cores e, em vez de se venerar o Menino Jesus, símbolo da Alegria, da Unidade e Paz Universal, presta-se mais atenção às televisões com a perversão, como nunca se viu!

Vibremos com o Natal do Menino Jesus, aquele que veio ao Mundo para salvar a humanidade, deixando para trás os incrédulos e aqueles que fazem da orgia o seu reino.
Não vamos esquecer todos aqueles que não têm família, vivem e dormem ao relento e nada têm que comer.

É certo que nos dias de hoje já há Instituições e pessoas que vão dando alguns agasalhos e comida nestas alturas.

Está correto? Quanto a nós dizemos que sim! Mas apelamos e deixamos um apontamento da nossa tristeza. Será que o Natal não serão os 365 dias do ano ou só nesta altura é que é Natal?!

Feliz Natal com um abraço fraterno.

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Os meses de fevereiro e março tiraram a Portugal e aos Portugueses a angústia duma seca severa que nem os mais otimistas acreditavam que voltasse a chover em Portugal. De facto, ao olharmos para todo o solo de Portugal, era desesperante vê-los ...

Joaquim Pimentel

Triste e lamentavelmente, perante a realidade da vida, que ninguém nos procure impingir a mentira de que a situação da Síria mexe com Assad, Trump, Putin, etc! Por mais razões que queiram invocar, a atitude destes “senhores” e de todos quantos a ...

Manuel Miranda

Mas tanta!... tanta gente de olhares em mim!... Eu sei que sou diferente… Que ando na vida para mim voltado, de todos os outros desencontrado!... Autista!… é o que de mim dizem. E outros que sou de perturbações do espectro do autismo. Outros ...

Estrela da Beira

A época das festas religiosas aproxima-se a passos largos. Estivemos novamente em Salamanca onde participámos na Procissão do Enterro (Sexta-feira Santa) e na Procissão do Encontro (Domingo de Páscoa) a convite da Cofradía de la Vera Cruz. É ótimo ...