wrapper

Breves

Motivados pelas Festas Pascais e pela vivência quaresmal e porque, também, no momento em que escrevia este editorial estava a passar ao pé da minha janela de trabalho a Procissão dos Ramos, todo o meu pensamento se encontrou na paixão e Morte de Jesus Cristo.

Como sou um Cristão convicto, sempre fui um homem apaixonado pelos exemplos tão lindos e belos que Jesus Cristo nos legou na sua passagem pela Terra. Jamais, desde criança, me poderia desviar dos meus ensinamentos que, com o tempo, os fui inculcando no meu coração e, dentro do possível, os pôr em prática.
Realmente, reparo hoje, com o peso dos meus 72 anos, como andamos enganados desde a nossa puberdade até aos nossos dias.

Reparo hoje que, quando se ama verdadeiramente, é quando atingimos a felicidade.

Reparo hoje na depravação do homem, onde os verdadeiros valores que Jesus Cristo no deixou, são postos de parte, esquecendo, nalguns casos, que a vida espiritual não existe.

Com efeito! Que vai ser do homem que só pensa nos bens materiais e, para os atingir, não olha a meios para alcançar os fins? Veja-se o que se passa no nosso país: a corrupção, a fuga de capitais e a exploração crassa por todos os lados; em contrapartida, há famílias inteiras famintas; milhares de sem abrigo e todos aqueles que sofrem em silêncio por não terem um naco de pão para eles e para dar aos filhos!

Não foi esta a mensagem que Jesus Cristo nos deixou.

Ele, filho de Deus vivo, expulsou do Templo, os vendilhões; os agiotas, os usurários; os banqueiros e todos os que faziam negócios naquele lugar.
Ele andou na Terra a fazer o bem, a ressuscitar mortos, curar doentes físicos e espirituais; viveu humildemente a sua compaixão e atingiu toda a sociedade, mas sempre foi um aliado dos desprotegidos. Ensinou-nos e deixou a sua doutrina de Salvação da Humanidade.

A Sua recompensa de todos os que o odiavam, arranjaram formas de o matar e foi cruxificado como um ladrão e morreu.

Aqui, a mentira sobrepõe-se à verdade e à razão.

Nos dias de hoje, a situação do mundo está quase idêntica, desde quando Jesus Cristo esteve entre nós.

A maldade e os valores de Paz, Amor e Solidariedade Fraternal estão a desaparecer. O mundo está perverso!

Como no alto da cruz, às 15 horas da tarde, daquela sexta-feira Santa, dizem também, bem alto e em uníssono todas as pessoas de bem:
“Pai, perdoai-lhes, porque eles não sabem o que fazem!” - Acrescentando nós: “e o que dizem!”

Foi este exemplo de Paz e Amor que Jesus Cristo deixou ao mundo. Também, nos compete dizer a Jesus: “tende dó dos pobres pecadores e nós, como o ladrão arrependido que estava ao Teu lado cruxificado no Monte do Calvário, Te suplicamos: não te esqueças de nós, quando chegarmos ao Teu Reino.”

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Fazendo uma retrospetiva à vida humana, concluímos que só bastante tarde é que nos damos conta que os dias e anos andam tão rápidos que até parece mentira. Todavia, a longevidade que em jovens julgamos nunca lá chegar, rapidamente a atingimos, ...

Joaquim Pimentel

Alguns anos após o 25 de Abril, mais precisamente quando aquela casta de políticos que serviram Portugal e os portugueses com verdadeiro espirito de missão, no Governo ou no Parlamento – a Casa da Democracia – colocando os interesses do país e do ...

Manuel Miranda

São doentes aos milhares em situação de risco. São notícias de milhares de cirurgias adiadas. São doentes oncológicos em risco de vida com cirurgias urgentes adiadas.  Um reduzido grupo de enfermeiros consegue fazer adiar cirurgias nos hospitais ...

Estrela da Beira

No passado dia 23 de fevereiro a Sociedade Musical Estrela da Beira (SMEB) fez um concerto de apresentação do 1º CD intitulado “Contemplar”.  Este CD enaltece toda a dedicação que a SMEB tem vindo a colocar em prol da música filarmónica e da ...