wrapper

Breves

Até que enfim! O desagrado político que se viveu até 4 de outubro, em que se chegou à baixeza de deputados e não deputados e até pessoas ditas delicadas, provocarem-se com palavras pouco corretas, levou à saturação e desânimo de todo um povo que se julgou à deriva e o leme da governação ficou desgovernado.

Não há dúvida que a coligação PSD/CDS ganhou as eleições, logo, sentiu-se na obrigação de governar. O PS, BE e PCP e PEV reunindo-se fizeram a coligação para governar o país. Bem ou mal, foi este o resultado.

Na nossa opinião pessoal, o sr. Presidente da República, ao saber do quadro político existente, esgotou, até à última, as suas possibilidades de intervenção política para vir a nomear o PS para formar Governo.

Deixou-nos a pura ideia de ser mais um agente partidário do que um Presidente da República – não gostámos. Daí a nossa indignação – o andamento do processo.

Vamos ver se a partir de agora, o partido indigitado com os seus parceiros coligados na Assembleia da República, irão seguir uma política verdadeira e séria para que Portugal cresça e ajude a tirar das amarras um povo amordaçado.

O ciclo político PSD/CDS chegou ao fim. Outro vai começar e não se pode pensar que uns políticos são mais ou menos políticos que qualquer outro. Pensamos que o que vai mudar é o estilo de fazer política, porque há grandes pensadores políticos de ambos os lados e há que se respeitarem.

No meio desta “guerra” política é de lamentar como alguma imprensa visual e escrita se portou. Os jornais, por um lado, e a televisões, por outro, com os seus pivots, chegaram ao cúmulo de incitação partidária nunca vista.

O ciclo passou, outro vai começar e fazemos votos para que tudo mude o que tem de ser mudado e que todos nós nos ajudemos uns aos outros e, com elevação, construir um Portugal mais justo e fraterno.

 

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Fazendo uma retrospetiva à vida humana, concluímos que só bastante tarde é que nos damos conta que os dias e anos andam tão rápidos que até parece mentira. Todavia, a longevidade que em jovens julgamos nunca lá chegar, rapidamente a atingimos, ...

Joaquim Pimentel

Alguns anos após o 25 de Abril, mais precisamente quando aquela casta de políticos que serviram Portugal e os portugueses com verdadeiro espirito de missão, no Governo ou no Parlamento – a Casa da Democracia – colocando os interesses do país e do ...

Manuel Miranda

São doentes aos milhares em situação de risco. São notícias de milhares de cirurgias adiadas. São doentes oncológicos em risco de vida com cirurgias urgentes adiadas.  Um reduzido grupo de enfermeiros consegue fazer adiar cirurgias nos hospitais ...

Estrela da Beira

No passado dia 23 de fevereiro a Sociedade Musical Estrela da Beira (SMEB) fez um concerto de apresentação do 1º CD intitulado “Contemplar”.  Este CD enaltece toda a dedicação que a SMEB tem vindo a colocar em prol da música filarmónica e da ...