wrapper

Breves

Até que enfim! O desagrado político que se viveu até 4 de outubro, em que se chegou à baixeza de deputados e não deputados e até pessoas ditas delicadas, provocarem-se com palavras pouco corretas, levou à saturação e desânimo de todo um povo que se julgou à deriva e o leme da governação ficou desgovernado.

Não há dúvida que a coligação PSD/CDS ganhou as eleições, logo, sentiu-se na obrigação de governar. O PS, BE e PCP e PEV reunindo-se fizeram a coligação para governar o país. Bem ou mal, foi este o resultado.

Na nossa opinião pessoal, o sr. Presidente da República, ao saber do quadro político existente, esgotou, até à última, as suas possibilidades de intervenção política para vir a nomear o PS para formar Governo.

Deixou-nos a pura ideia de ser mais um agente partidário do que um Presidente da República – não gostámos. Daí a nossa indignação – o andamento do processo.

Vamos ver se a partir de agora, o partido indigitado com os seus parceiros coligados na Assembleia da República, irão seguir uma política verdadeira e séria para que Portugal cresça e ajude a tirar das amarras um povo amordaçado.

O ciclo político PSD/CDS chegou ao fim. Outro vai começar e não se pode pensar que uns políticos são mais ou menos políticos que qualquer outro. Pensamos que o que vai mudar é o estilo de fazer política, porque há grandes pensadores políticos de ambos os lados e há que se respeitarem.

No meio desta “guerra” política é de lamentar como alguma imprensa visual e escrita se portou. Os jornais, por um lado, e a televisões, por outro, com os seus pivots, chegaram ao cúmulo de incitação partidária nunca vista.

O ciclo passou, outro vai começar e fazemos votos para que tudo mude o que tem de ser mudado e que todos nós nos ajudemos uns aos outros e, com elevação, construir um Portugal mais justo e fraterno.

 

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Os meses de fevereiro e março tiraram a Portugal e aos Portugueses a angústia duma seca severa que nem os mais otimistas acreditavam que voltasse a chover em Portugal. De facto, ao olharmos para todo o solo de Portugal, era desesperante vê-los ...

Joaquim Pimentel

Triste e lamentavelmente, perante a realidade da vida, que ninguém nos procure impingir a mentira de que a situação da Síria mexe com Assad, Trump, Putin, etc! Por mais razões que queiram invocar, a atitude destes “senhores” e de todos quantos a ...

Manuel Miranda

Mas tanta!... tanta gente de olhares em mim!... Eu sei que sou diferente… Que ando na vida para mim voltado, de todos os outros desencontrado!... Autista!… é o que de mim dizem. E outros que sou de perturbações do espectro do autismo. Outros ...

Estrela da Beira

A época das festas religiosas aproxima-se a passos largos. Estivemos novamente em Salamanca onde participámos na Procissão do Enterro (Sexta-feira Santa) e na Procissão do Encontro (Domingo de Páscoa) a convite da Cofradía de la Vera Cruz. É ótimo ...