wrapper

Breves

Temos procurado escutar os principais analistas políticos dos vários canais de televisão e ler em alguns jornais os tidos como melhores articulistas na vertente política.

E é curioso que, para além de Santana Lopes, António Vitorino, Manuela Ferreira Leite e Marcelo Rebelo de Sousa, nos habituamos a ouvir Miguel Sousa Tavares e a acreditar na sua independência e total imparcialidade. Infelizmente, enganámo-nos.

Bastou estoirar a bomba acerca do Bes/Ges e do ex-banqueiro Ricardo Salgado, para se ficar a saber que, afinal Sousa Tavares não só não se mostra independente e imparcial como o julgávamos, como está até muito longe disso.

No meio de toda essa tragédia que envolveu o grupo Espírito Santo e Ricardo Salgado, Miguel Sousa Tavares que bateu fortemente em Vale e Azevedo, Dias Loureiro, Oliveira e Costa e outros, não teve uma palavra sequer que dissesse ou escrevesse sobre esse desastre que provocou um enorme rombo na banca e na credibilidade do nosso país. E sabe-se bem porquê!...

Sempre olhámos para o Dr. Miguel Sousa Tavares com enorme respeito e admiração tendo por base a sua postura enquanto jornalista e comentador da SIC. Além disso, deu-nos sempre e continua a dar prazer ler os romances que escreve não só porque o seu conteúdo é atrativo mas também porque a forma de escrever nos seduz.

Foi por tudo isso que o seu silêncio em relação aos problemas do BES e ao Dr. Ricardo Salgado nos deixaram muito tristes e sem palavras.

Ou muitos nos enganamos ou Miguel Sousa Tavares deixou cair a máscara podendo levar-nos a concluir que não é nem mais nem menos do que quase todos os outros comentadores. Como diria um velho amigo nosso, em tempos que já lá vão: “A independência e a imparcialidade de alguns foram colocadas em cima de uma folha de couve. Azar dos azares, veio um burro e comeu-a!...”

Não sabíamos que uma filha do autor do romance “Equador” era casada com um filho de Ricardo Salgado. E se é possível entender que esse facto pode explicar alguma coisa do seu comportamento, já não será possível admitir que tal facto dite uma transformação completa no comentador.

Não é crível que alguém com o papel e a responsabilidade de Sousa Tavares, queira, em circunstâncias iguais, Deus para si e o diabo para os outros.

Não há, de facto, como realmente!

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Estamos quase no fim do mês de dezembro de 2019 e a entrarmos no ano de 2020.

Joaquim Pimentel

A leitura que vou procurando fazer no dia-a-dia duma vida muito ocupada e com acrescidas preocupações, permite alargar os meus conhecimentos os quais, confesso, são limitados e dar conta do que se vai passando em meu redor. Não resisto, pois, a ...

Manuel Miranda

Natal. As notícias não deixam esquecer o Natal. As televisões mandam jornalistas para os grandes centros comerciais para registarem os entusiasmados, a azáfama das compras. 

Estrela da Beira

2019 está já a terminar. Foi um ano cheio de muitas surpresas, de muitas atividades e de mudança para a nossa banda.