O governo que não fez nada no Distrito da Guarda e no concelho de Seia em particular nos últimos 4 anos, a não ser, procurar fechar serviços públicos e dificultar a vida a cidadãos e empresas, prepara-se agora para fazer mais uma das suas no que se refere ao Tribunal de Seia.

Já o esvaziou de funções e agora quer tirar-lhe a competência referente a casos de famílias e menores. Uma injustiça que a população de Seia não pode deixar que aconteça, já que o concelho de Seia a par de Gouveia representam 50% dos casos em todo o distrito. Por outro lado, é preciso atender ao facto de estarmos perante excelentes instalações existentes, de se reconhecer grande competência aos seus funcionários e ao benefício que o mesmo produziria aos habitantes de Seia e Gouveia.

Este é um problema muito sério que importa acudir, numa região como a nossa, ao promover o afastamento da justiça às nossas populações, num território já profundamente deprimido no contexto nacional.

E todos seremos poucos para acudir, embora o problema não seja de hoje, mas desde que a nova lei orgânica dos Tribunais foi publicada, altura em que esta questão já se previa.

E nessa altura, pessoas com responsabilidades, quer políticas, da área do governo, quer profissionais, enquanto representantes da área não fizeram o que agora reclamam de outros.

Mas estou certo que a Câmara Municipal tudo continuará a fazer para não deixar que mais esta machadada seja dada e a própria Assembleia Municipal tomará certamente a devida posição, exigindo o que Seia tem direito por mérito próprio.

A bancada do PS que lidero na Assembleia Municipal, acaba de dar entrada de uma Moção para ser aprovada na reunião ordinária de Abril.
Por Seia, tudo temos de fazer e todos temos que mobilizar-nos!