wrapper

Breves

Já passou o Carnaval e, com ele, uma nova fase de preparação de novo reportório ganha ênfase. As marchas fúnebres e de procissão começam a ganhar grande relevância nas estantes dos nossos ensaios para que possamos estar bem preparados para os desafios que nos esperam durante o tempo quaresmal e pascal.

Com a abordagem ao clarinete e ao saxofone terminámos os instrumentos da sub-família das madeiras. Assim, com o trompete e a trompa, iniciamos hoje os instrumentos de sopro da sub-família dos metais. 

O trompete é, provavelmente, dos instrumentos musicais existentes atualmente que mais evoluiu. Presentes em ilustrações de túmulos egípcios as primeiras versões deste instrumentos datam de 1500 a.C.. O seu comprimento, a sua forma e o seu material foram-se modificando até que no séc. XIX com a introdução de três válvulas (pistões) adotou a imagem com que hoje é comummente conhecido. Todas as notas e gradações são conseguidas apenas com o manejo destes pistões e do bocal. Instrumento versátil é utilizado em diversos géneros musicais, sendo facilmente encontrado na música clássica, no jazz, nos mariachis, nos toques militares e nos passodobles. Louis Armstrong foi um dos seus mais famosos instrumentistas.

A trompete é, geralmente, dos instrumentos que, logo a seguir aos clarinetes, mais instrumentistas apresenta nas bandas filarmónicas.

A trompa é um instrumento de sopro muito importante na orquestra sinfónica moderna. Consiste num tubo metálico de 3,7 metros de comprimento, enrolado várias vezes sobre si mesmo, com um bocal numa das extremidades e uma campânula na outra. Munido de três, quatro ou até cinco chaves, é dos instrumentos mais ricos em harmonias.

Antigamente, foi um instrumento utilizado para a caça e fins militares, porém o interesse de grandes compositores como Haydn, Mozart, Beethoven, Schumann, Brahms, Tchaikovsky e Mahler deram-lhe o realce merecido. Deste modo, a partir do séc. XIX, ganhou um importantíssimo lugar nas orquestras.

Infelizmente, nas bandas filarmónicas o seu papel é, por vezes, diminuído sendo visto como um instrumento de iniciação e passagem. Porém, temos a certeza que, com o evoluir dos conhecimentos, esse pensamento irá alterar-se.

A todos, um bom mês de março, deixando o convite de nos visitarem. A sede da banda encontra-se em funções todas as sextas-feiras e sábados das 21.30h às 00:00h e, também, aos sábados das 9:30h às 13:00h.

Próximos serviços da banda:

28 de março: Convívio do Batalhão de Artilharia 3844 Guiné Bissau (Pinhanços)

29 de março: Concerto de Semana Santa (Santa Marinha)

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Eduardo Cabral

Os meses de fevereiro e março tiraram a Portugal e aos Portugueses a angústia duma seca severa que nem os mais otimistas acreditavam que voltasse a chover em Portugal. De facto, ao olharmos para todo o solo de Portugal, era desesperante vê-los ...

Joaquim Pimentel

Triste e lamentavelmente, perante a realidade da vida, que ninguém nos procure impingir a mentira de que a situação da Síria mexe com Assad, Trump, Putin, etc! Por mais razões que queiram invocar, a atitude destes “senhores” e de todos quantos a ...

Manuel Miranda

Mas tanta!... tanta gente de olhares em mim!... Eu sei que sou diferente… Que ando na vida para mim voltado, de todos os outros desencontrado!... Autista!… é o que de mim dizem. E outros que sou de perturbações do espectro do autismo. Outros ...

Estrela da Beira

A época das festas religiosas aproxima-se a passos largos. Estivemos novamente em Salamanca onde participámos na Procissão do Enterro (Sexta-feira Santa) e na Procissão do Encontro (Domingo de Páscoa) a convite da Cofradía de la Vera Cruz. É ótimo ...