wrapper

Breves

Já passou o Carnaval e, com ele, uma nova fase de preparação de novo reportório ganha ênfase. As marchas fúnebres e de procissão começam a ganhar grande relevância nas estantes dos nossos ensaios para que possamos estar bem preparados para os desafios que nos esperam durante o tempo quaresmal e pascal.

Com a abordagem ao clarinete e ao saxofone terminámos os instrumentos da sub-família das madeiras. Assim, com o trompete e a trompa, iniciamos hoje os instrumentos de sopro da sub-família dos metais. 

O trompete é, provavelmente, dos instrumentos musicais existentes atualmente que mais evoluiu. Presentes em ilustrações de túmulos egípcios as primeiras versões deste instrumentos datam de 1500 a.C.. O seu comprimento, a sua forma e o seu material foram-se modificando até que no séc. XIX com a introdução de três válvulas (pistões) adotou a imagem com que hoje é comummente conhecido. Todas as notas e gradações são conseguidas apenas com o manejo destes pistões e do bocal. Instrumento versátil é utilizado em diversos géneros musicais, sendo facilmente encontrado na música clássica, no jazz, nos mariachis, nos toques militares e nos passodobles. Louis Armstrong foi um dos seus mais famosos instrumentistas.

A trompete é, geralmente, dos instrumentos que, logo a seguir aos clarinetes, mais instrumentistas apresenta nas bandas filarmónicas.

A trompa é um instrumento de sopro muito importante na orquestra sinfónica moderna. Consiste num tubo metálico de 3,7 metros de comprimento, enrolado várias vezes sobre si mesmo, com um bocal numa das extremidades e uma campânula na outra. Munido de três, quatro ou até cinco chaves, é dos instrumentos mais ricos em harmonias.

Antigamente, foi um instrumento utilizado para a caça e fins militares, porém o interesse de grandes compositores como Haydn, Mozart, Beethoven, Schumann, Brahms, Tchaikovsky e Mahler deram-lhe o realce merecido. Deste modo, a partir do séc. XIX, ganhou um importantíssimo lugar nas orquestras.

Infelizmente, nas bandas filarmónicas o seu papel é, por vezes, diminuído sendo visto como um instrumento de iniciação e passagem. Porém, temos a certeza que, com o evoluir dos conhecimentos, esse pensamento irá alterar-se.

A todos, um bom mês de março, deixando o convite de nos visitarem. A sede da banda encontra-se em funções todas as sextas-feiras e sábados das 21.30h às 00:00h e, também, aos sábados das 9:30h às 13:00h.

Próximos serviços da banda:

28 de março: Convívio do Batalhão de Artilharia 3844 Guiné Bissau (Pinhanços)

29 de março: Concerto de Semana Santa (Santa Marinha)

Partilhar este artigo

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Já está à venda nas bancas a edição Nº 565 do Jornal de Santa Marinha

 ASSINE ou RENOVE a ASSINATURA do Jornal de Santa Marinha. Contacte-nos!

Onde Comprar...

Pode comprar o Jornal de Santa Marinha assim como outros jornais e revistas nos seguintes estabelecimentos comerciais de Seia e São Romão:

---------------

Crisfal Papelaria (Rua Dr Simões Pereira 43) 

Casa Havaneza (Rua Dr Simões Pereira) 

Tutti-Frutti - Café Snack Bar (Av 1º de Maio, 14, Ed. Rodolfo) 

Porta Lápis - Livraria Papelaria Informática (Av 3 de Julho, A); 

Papelaria Oficina das Artes (Praça Comendador Joaquim F. Simões)

Seabra e Campos (Bombas BP); 

Shop Naf Seia (Galeria Comercial do Intermarché)

Livraria Papelaria Cafetaria Neves (R. Santo António, 1)

Eduardo Cabral

Estamos quase no fim do mês de dezembro de 2019 e a entrarmos no ano de 2020.

Joaquim Pimentel

A leitura que vou procurando fazer no dia-a-dia duma vida muito ocupada e com acrescidas preocupações, permite alargar os meus conhecimentos os quais, confesso, são limitados e dar conta do que se vai passando em meu redor. Não resisto, pois, a ...

Manuel Miranda

Natal. As notícias não deixam esquecer o Natal. As televisões mandam jornalistas para os grandes centros comerciais para registarem os entusiasmados, a azáfama das compras. 

Estrela da Beira

2019 está já a terminar. Foi um ano cheio de muitas surpresas, de muitas atividades e de mudança para a nossa banda.